Fiz o post passado em um momento de reflexão. Pensei que ninguém ia ler, mas tava tudo bem, porque queria mesmo só anotar uns pensamentos. Mas me surpreendi com os comentários legais que teve e o importante é a felicidade que sentimos a cada decisão mesmo!

Sobre atividade física: Aprendi com meu pai a não comer carne gordurosa, nem muita fritura, porque ele diz que "faz mal". Ele e minha mãe sempre praticaram esportes, ela joga vôlei e ele jogava futebol e basquete. E desde o ano passado os dois andam de bicicleta no mínimo duas vezes na semana, e não é só passeio não, fazem questão de compartilhar a mádia de 30 km por dia. E eu? Não consigo comer comida gordurosa e nem muitas frituras (exceto batata frita) graças ao "faz mal" que sempre ouvia. Mas sobre as atividades físicas? Larguei o ballet! Esse final de semana os dois foram fazer uma trilha de bicicleta, em outra cidade, com uma turma grande e ainda foram em uma cachoeira. E eu? Larguei o ballet.
Nunca consegui me identificar com nenhum esporte. E estou sentindo a derrota do sedentarismo neste exato momento.

Sobre a violência da cidade: Sempre que ando na rua com meus cadernos na mochila fico com medo de ser assaltada e levarem meus cadernos. Celular e documentos tudo bem, porque dinheiro não tenho mesmo. Mas meus cadernos? Aí vão fazer falta! Todas as anotações de aula, caligrafia bonitinha e colorida. Só penso que falaria "por favor, deixem meus cadernos".

Isso me lembrou que teve uma vez que a minha prima contou que chegou um "pivete" falando que queria o celular da amiga dela, ela pegou ele no bolso entregou para o assaltante e ele olhou para o celular e disse "ah não, pode ficar". 

E eu também acho péssimo ler sobre assaltos e estupros que acontecem na minha cidade, por isso não tenho mais coragem de ir embora sozinha para casa por ficar com medo, e era algo que eu gostava muito de fazer, mesmo levando 30 minutos de caminhada.

Lendo: Clarissa, do Érico Veríssimo. Eu amo ler José de Alencar, mas depois que li Dom Casmurro, me interessei mais pela literatura brasileira e acabei de começar esse livro.

Assistindo: Terminamos "Revenge" só para não deixar nenhuma série incompleta para trás, e até que gostei. Agora estou terminando a sexta temporada de "Once Upon a Time" e estou amando cada vez mais a Emma, espero que as especulações de que ela não estará na próxima temporada seja mentira. Oremos.

Planejando: Lembra no post passado que eu falei que não tenho armários na cozinha? Então, essa semana eu vi uma imagem que me deu uma ótima inspiração. E eu já estou olhando uns tecidos para fazer as minhas cortinas, estou entre as cores bege e cinza.
Ouvindo: Estou gostando muito de trabalhar ouvindo 5 a seco.


Conheço pessoas que moram de aluguel, mas estão sempre viajando para diferentes lugares. Conhecem vários países e preferem gastar dinheiro descobrindo novas culturas. Agregam experiências e conhecimento. 

Bom, um ano antes de casarmos, eu e o Helio traçamos uma meta de construirmos nossa casa. Algo que foi desgastante, cansativo e ultrapassou o orçamento planejado. Mas graças a Deus deu tudo certo. Mudamos para nossa casa antes mesmo de estar tudo finalizado, não tinha portão, não tinha janelas e nem estava pintada. Mas conseguimos passar dessa fase. Planejamos comprar os armários da cozinha para deixar tudo organizado. Mas os boletos, que não param de chegar, não nos deixaram dinheiro para tal investimento. Atualmente, decidimos mais uma vez adiar os armários e nos dedicar a nossa saúde mental. Uma hora, a mente cansa de tanta preocupação, tanto planejamento. E concordando com uma frase que a Carol disse, a minha casa estará eternamente em construção, pois temos um quarto inacabado, uma garagem sem revestimento e um chão só com contrapiso, e não sou eu que vou viver pensando apenas em bens materiais.

Quem está certa? A pessoa que mora de aluguel e viaja muito gastando sem poupar. Ou aquela que possui casa própria (mesmo ela sendo financiada) e adiou a viagem que tanto sonha?
Na verdade, eu acho que as duas estão.

Cada um tem uma prioridade estabelecida na mente e se sente feliz com a decisão que toma. 

Hoje, eu decidi de vez adiar os armários. Aquela tupperware está guardada em caixa. Tenho panelas, talheres e copos guardados no maleiro do guarda-roupas, nunca usei, não porque eu quis guardar como fazia minha avó, mas por não ter outro lugar para colocar. Agora a minha prioridade não é mais preocupar com as vasilhas a vista, e sim em descansar no pequeno tempo que tenho sem trabalho e estudos. Enquanto isso, vou gastando tempo com as minhas plantinhas e meus cachorros mesmo. E planejando apenas a próxima viagem.


Foto: Mônica Crema       |        Verso: Belshior

No ano passado, nessa mesma época, eu deixei registrado que não possuía a mínima habilidade para cuidar de plantas, mas com o tempo fui aprendendo e hoje tenho um pequeno jardim na minha casa, e algumas plantinhas que estão sempre a florir.
E nada melhor que dar início à primavera com alguns registros desas alegrias da natureza.
 Um pontinho amarelo no caminho para minha casa, as vezes voltar para casa caminhando trás algumas vantagens.
 Florzinhas na casa da minha mãe.
Mais uma da casa da minha mãe.
Detalhe que sempre aparece ao lado do trabalho.
As mini rosas sobreviventes no meu jardim.


Após visitar o blog da Bruna Morgan, vi um projeto com uma lista enorme com 300 coisas que todo mundo deveria fazer. E como eu amo fazer listas e também fazer alguns projetos, peguei a lista dela, dando uma mudada, para adaptar com coisas possíveis de serem realizadas por mim. 
Ah... e tudo começou em uma página no facebook com 1000 coisas que todo mundo deveria fazer

Legenda:  Realizadas  -  Não realizadas
001. Fazer um castelo de areia.
002. Escrever uma música.
003. Aprender a tocar um instrumento.
004. Ter um animal de estimação.
005. Beijar na chuva.
006. Organizar uma festa.
007. Colecionar momentos, não coisas.
008. Comer pizza fria no café da manhã.
009. Tocar a campainha e sair correndo.
010. Escrever um livro.
011. Fazer trabalho voluntário.
012. Comer brigadeiro de panela.
013. Fazer um caderno de receitas.
014. Cantar bem alto sua música favorita.
015. Fazer diferença na vida de alguém.
016. Acordar com um bom café da manhã.
017. Contar os minutos para o feriado.
018. Beijar muito.
019. Tomar chocolate quente.
020. Lançar um olhar 43.
021. Andar de patins.
022. Visitar as pirâmides do Egito.
023. Fazer uma viagem inesquecível.
024. Pular na piscina de roupa.
025. Almoçar em um "bandejão".
026. Ouvir as crianças.
027. Fazer uma trilha.
028. Andar de bicicleta no parque.
029. Mandar uma carta para um amigo que mora longe.
030. Fazer um cofrinho.
031. Viajar a trabalho.
032. Ficar até tarde na internet.
033. Conhecer vários países na Europa.
034. Beijar no cinema.
035. Ir a Bienal do Livro.
036. Fazer a pessoa que você gosta sorrir.
037. Montar um álbum de fotografias.
038. Ir ao cinema sozinha.
039. Ser e fazer o que quiser.
040. Ler um livro imenso.
041. Andar de bondinho.
042. Ser madrinha de casamento de uma amiga.
043. Comer coxinha.
044. Dançar na chuva.
045. Correr.
046. Brincar com bolhas de sabão.
047. Participar de um protesto.
048. Ajudar quem precisa.
049. Dizer "eu te amo".
050. Comer um prato feito.
051. Conhecer os parques da Disney.
052. Fotografar coisas aleatórias.
053. Saltar de asa-delta.
054. Ser recebida de braços abertos.
055. Acreditar em novas ideias.
056. Aprender a dançar.
057. Pedir desculpas.
058. Participar de um amigo secreto.
059. Rir até chorar.
060. Aprender a costurar algo.
061. Ter uma festa surpresa.
062. Ser penetra em uma festa.
063. Ter um retrato seu pintado.
064. Formar na faculdade.
065. Ir em uma montanha russa.
066. Escalar uma montanha.
067. Inventar coisas.
068. Ver uma estrela cadente.
069. Assistir a uma orquestra.
070. Fazer um elogio a alguém desconhecido.
071. Dormir na grama.
072. Ver o céu com um telescópio.
073. Esquiar na neve.
074. Ficar na piscina até os dedos enrugarem.
075. Dormir abraçada com um travesseiro.
076. Pegar firme na academia.
077. Apertar o botão de soneca mil vezes.
078. Comer paleta mexicana.
079. Fazer uma pós-graduação. 
080. Conhecer Buenos Aires.
081. Conhecer o nordeste.
082. Aprender a fazer uma mágica.
083. Dar "bom dia" a um estranho.
084. Ter 20 plantas.
085. Amar a sexta-feira.
086. Viajar para um hotel fazenda.
087. Votar com consciência.
088. Dirigir uma moto.
089. Sair da casa dos pais.
090. Assistir o mesmo filme várias vezes.
091. Aprender a desenhar.
092. Dizer obrigada.
093. Ficar uma noite inteira sem dormir.
094. Acordar ouvindo música.
095. Dar beijos na testa.
096. Fazer um bolo de cenoura.
097. Cheirar livros.
098. Assistir um seriado completo.
099. Fazer uma cabana de lençol.
100. Mergulhar.
101. Ter um portfólio.
102. Bordar.
103. Cinema ao ar livre.
104. Assaltar a geladeira de madrugada.
105. Patinar no gelo.
106. Jogar boliche com os amigos.
107. Ir à praia de madrugada.
108. Andar de caiaque.
109. Correr uma maratona.
110. Conversar com estranhos.
111. Voltar a fazer algo que ama.
112. Emendar todos os feriados.
113. Fazer uma guerra de travesseiros.
114. Ver o sol nascer no mar.
115. Valorizar as amizades.
116. Andar descalço na grama.
117. Ser o motivo da felicidade de alguém.
118. Ajudar um estranho.
119. Fantasiar-se de super herói.
120. Fazer algo inusitado.
121. Dormir com o cheiro de alguém.
122. Traçar metas para o ano.
123. Namorar.
124. Tomar um shot de tequila.
125. Ir no festival de cores.
126. Aproveitar o fim do ano.
127. Dar nome às estrelas.
128. Sair durante a semana.
129. Ir a uma confeitaria.
130. Pedir para a avó contar uma história.
131. Passar o natal com a família,
132. Reencontrar um amigo de infância.
133. Acreditar no amor eterno.
134. Acampar.
135. Comer a sobremesa antes do almoço.
136. Tomar café.
137. Andar de bicicleta na chuva.
138. Comer com as mãos.
139. Ter um minuto de coragem.
140. Viajar em um fusca.
141. Dançar quadrilha.
142. Dançar mesmo sem saber.
143. Dormir com seu animal de estimação.
144. Trocar a fralda de um bebê.
145. Dormir com o barulho de chuva.
146.Projetar sonhos.
147. Fazer uma serenata de amor.
148. Dormir ao ar livre.
149. Estar mesmo feliz com a sua vida.
150. Dormir ouvindo música.
151. Ir a uma festa a fantasia.
152. Ir a um zoológico.
153. Tomar banho de cachoeira.
154. Fazer um piquenique.
155. Abrir seu próprio negócio.
156. Abraçar uma árvore.
157. Comer uma casquinha com uma só mordida.
158. Assistir a uma peça de teatro.
159. Ir a um rodízio de comida japonesa.
160. Gritar debaixo d'água.
161. Fazer cócegas em alguém.
162. Morder alguém.
163. Doar brinquedos.
164. Andar dentro do carrinho de compras.
165. Conquistar independência.
166. Inventar sua própria receita.
167. Tirar um fim de semana para dormir.
168. Doar roupas velhas.
169. Descer a escada rolante ao contrário.
170. Ficar bêbada.
171. Ver a cidade do alto.
172. Ler para uma criança.
173. Visitar parques e lugares turísticos da sua cidade.
174. Dar flores para alguém.
175. Cantar no chuveiro.
176. Fazer mais amor e menos sexo.
177. Não brigar com sua irmã.
178. Ir a um show internacional.
179. Ir a um show ruim só por causa dos amigos.
180. Plantar uma árvore.
181. Escrever uma carta.
182. Comer pizza com as mãos.
183. Ir a um luau.
184. Ser saudável.
185. Aprender a assobiar.
186. Dançar como se não tivesse ninguém olhando.
187. Ver a neve.
188. Tomar banho com água da mangueira.
189. Ir a um festival de música.
190. Explore uma gruta/caverna.
191. Fazer uma festa surpresa.
192. Viajar de cruzeiro.
193. Dormir de conchinha.
194. Sair de casa com pijama.
195. Respeitar as diferenças.
196. Pegar conchas na praia.
197. Estourar plástico bolha.
198. Ir a uma praia de nudismo.
199. Conhecer a Amazônia.
200. Cartar em um karaokê. 


Aqui na minha cidade, "manota" é quando alguém dá uma mancada, fala alguma bobagem, ou paga mico, e eu posso dizer que dei uma "manota" na semana passada e que deve ser compartilhada para fazer algumas pessoas darem risadas.

Em um dia ensolarado, eu estava indo embora, depois de um dia cansativo de trabalho. Estava indo a pé, mesmo sabendo que gastaria quase meia hora para ir para casa. No caminho, um rapaz, que devia ter uns 20 anos olha pra mim e diz:
- Oi Aline! Quanto tempo que não te vejo!..
Eu olho pra ele, sem ter a menor ideia de quem era e disse, querendo ser educada:
- Oi! Tudo bem?
- Tudo sim! O que anda fazendo?
Eu ainda sem saber quem era, respondo:
- Trabalhando e estudando.. E você?
- Eu estou morando em Uberlândia....
Foi aí que lembrei que se tratava de um vizinho que eu tive quando eu era adolescente. Eu tinha uns 15 anos, e na época, ele tinha uns 10. Hoje, ele estava bem maior que eu e bem diferente. Lembro que achava ele meio doidinho. Teve uma vez que eu e meus pais estávamos subindo as escadas do prédio e ele estava descendo com uma faca pois tinha escutado uns barulhos estranhos na garagem. 
Mas, voltando ao assunto.
Ele me contou um monte de coisas da vida dele, como se fossemos amigos de longa data e eu tentando parecer interessada.
Até que encerramos a conversa porque ele disse que tinha que ir embora para Uberlância e diz:
- Então tchau! Foi bom te ver!
E eu:
- Tchau! Foi bom te conhecer!
Hahahahaha
Sério mesmo! Acho que o meu subconsciente não assimilou as pessoas e achou que eu estava conhecendo uma nova pessoa. Só pode!