20 de fevereiro de 2018

Um aniversário, um bolo, uma lista

Todo dia 20 de fevereiro eu crio milhões de expectativas, muitas delas em cima de pessoas. Quero ganhar presentes e fazer que seja um dia especial. Já teve alguns anos que o fim do horário de verão me presenteia com mais uma horinha do dia do meu aniversário.
Mas esse ano, acordei como a maioria dos dias, troquei de roupa, sem pensar muito no que vestir e comi manga no café da manhã. Fui pra aula, pro trabalho e para casa. Depois recebi alguns familiares e amigos, comemos cachorro quente, sorvete e o bolo que eu fiz no dia anterior (olha a receita aqui). E quer saber? Foi um dia maravilhoso! Justamente porque foi um dia comum, sem expectativas, mas com a consciência de que não deixava de ser um dia diferente, cheio de amor e pessoas que realmente importam. E o melhor, foi tão legal, que nem lembrei de tirar fotos.

Parei para pensar, e em 27 anos completos da minha vida já fiz tantas coisas, que só tenho motivos para agradecer. E por que não fazer isso agora?

  • Já fui em um show sozinha (da Madonna!)
  • Peguei um buquê de noiva
  • Assisti um musical da Broadway (A Bela e a Fera)
  • Planejei o Natal na minha casa
  • Perdi amizades e ganhei novas
  • Fiz viagens inesquecíveis
  • Encontrei o amor da minha vida
  • Tenho dois cachorros que fazem os meus dias mais alegres
  • Tenho uma família realmente maravilhosa
Um dia especial, como qualquer outro, mas que sempre será lembrado.

16 de fevereiro de 2018

Esfoliantes da cabeça aos pés!

Eu gosto muito de esfoliantes, aquela sensação de estar tirando todas as células mortas é a melhor parte, não é mesmo? Por isso, tenho aqui cinco indicações de produtos que eu uso, duas delas são receitinhas caseiras.
Não sou nenhuma especialista, mas creio que é necessário fazer uma boa hidratação após cada esfoliação. Não podemos esquecer!
Para cabelos:
A mistura de três colheres de sopa da sua máscara de hidratação preferida e duas colheres de sopa de açúcar cristal (ou uma colher de açúcar mascavo) potencializa a hidratação dando mais brilho e maciez aos cabelos. E pra quem procura menos volume, é uma ótima opção. 

Para o corpo:
O que mais me agradou nesse sabonete foi o cheiro maravilhoso dele, daqueles que não dá vontade de parar de tomar banho. Além disso, é super cremoso e ao mesmo tempo faz uma esfoliação muito boa. Fica com aquela impressão de pequenos grãozinhos de areia no sabonete. Valor: R$ 16,90 a caixa com 5 sabonetes, três cremosos e dois esfoliantes.

Uma receita natural e super eficaz. São duas colheres de sopa de mel e duas colheres de sopa de açúcar, só misturar bem e aplicar na pele com movimentos suaves. Um ótimo esfoliante para o corpo e lábios, que deixa a pele bem lisinha. 

Para as mãos:
O kit contém três produtos feitos para serem usados em conjunto. O creme extra emoliente (passo 1) oferece uma hidratação, sem cheiro, e também é ótimo para ser usado em queimaduras para evitar bolhas. O esfoliante (passo 2) limpa e esfolia de uma maneira bem suave, mesmo possuindo uma consistência mais grossa. E o creme (passo 3) fornece uma camada protetora após a esfoliação, e além de ter um cheiro muito bom deixa a pele ainda mais macia. Ah.. os produtos também podem ser utilizados nos pés. Valor: R$ 149,00.

Para o rosto:
O passo 1 possui cristais esfoliantes para refinar a pele do rosto, são bem parecidos como uma areia bem fininha, o que proporciona uma esfoliação bem suave. O passo 2 é necessário para restaurar a pele, e ótimo para ser usado no rosto após uma grande exposição ao sol. Valor: 198,00.

9 de fevereiro de 2018

Mineira de coração

Moro em Minas Gerais desde os cinco anos de idade, antes disso, em Brasília. Mas tenho todo o sangue, alma e características de uma mineira. 
Especialista em pão de queijo, apreciadora de um bom frango caipira, com direito a angu de milho verde e quiabo. Não sou a pessoa que puxa assunto em filas, mas sempre me deparo com algum comentário e uma conversa que resulta em "ah.. conheço essa pessoa sim". 
Desconfiada, reservada, mas extremamente hospitaleira, recebendo amigos sempre de braços abertos para um churrasquinho.
Pastel e caldo de cana na feirinha de sexta ou sábado é tradição, é cultura, é passeio muito "bão".
A gente gosta de família grande, almoço de domingo na casa da avó, queijo com goiabada e o cheiro de cafezinho no fim de tarde. Melhor ainda quando percebe que o amigo é um parente bem distante.
Aqui a gente fala "pon di ôns", "meidi e mei" e "uai". A gente chama tudo de "trem". 
Nada supera o orgulho de ter belas paisagens e ninguém liga se não tem praia.
Concordando com Guimarães Rosa, "Minas, são muitas".

Fonte da imagem: @nanaths
Que tal ler um post sobre minha cidade?

1 de fevereiro de 2018

O primeiro planner a gente nunca esquece

Janeiro é, na maioria das vezes, um ano de planejamento e registro de metas. Esse ano, fiz uma lista com metas alcançáveis para um ano mais leve. Quero ser mais organizada, comer coisas mais saudáveis, praticar exercícios, ler a bíblia toda, fazer passeios diferentes com a família e me amar mais!

Como o sangue da Dona Alaíde corre em minhas veias, preciso anotar tudo para conseguir lembrar das coisas que tenho que fazer. Por isso, eu preciso estar sempre acompanhada de uma agenda. Fico admirando fotos de bullet journal, mas só admirando mesmo, porque talento de organização aqui é meio limitado. Mas encontrei um planner tão lindo da Tilibra que a motivação para o ano até aumenta. Ah.. e o preço dele também é ótimo! Paguei R$20,00.
Como no ano passado, quero deixar anotado os livros que li, fazer uma lista de coisas boas que aconteceram e uma wishlist. Cada item (trabalho, estudos, finanças, compromissos, blog, prioridade e outros) tem uma cor diferente de caneta a ser usada para ficar ainda mais bonito. Ah.. e olha só que ideia legal para registrar cada dia do ano. 
Renovando: Desde o início do blog, há quase dois anos, eu permaneço com o mesmo layout por medo de mudar e dar algo errado, mas dessa vez tive coragem e mudei! E isso pôde ocorrer graças ao Creative Market. O que acharam?

Lendo: Esse mês eu terminei Cidade dos Etéreos, e já comecei a ficção policial A Morte no Nilo, da Agatha Christie, a meta é um livro por mês. 

Assistindo: Comecei a série This is Us e já estou amando, é aquele tipo de série que eu amo assistir sozinha. E estou assistindo a série The Good Place junto com a minha irmã e gostei do estilo da comédia que é ótima para assistir com alguém.

Planejando: Assistir a maior quantidade de filmes indicados ao Oscar que eu conseguir! E essa meta será possível graças à super organização da Nicas, que disponibilizou uma planilha maravilhosa em forma de checklist!

Gratidão: Deus é maravilhoso e encontrá-lo nos pequenos detalhes é algo gratificante! Um exemplo: nosso limoeiro está com mais de um ano e ainda não tinha dado frutos. Até que no início de dezembro nasceu a primeira florzinha, e ver o crescimento do limão foi perceber que as criações de Deus são perfeitas. Ainda temos algum tempo até esse limão crescer, mas será um belo primeiro de muitos. 

26 de janeiro de 2018

A droga do açúcar

Em um dia de semana, entre os videos recomendados no youtube, apareceu um com o título "Fast Food é Droga?", com a participação da Paola Carosella, eu achei o título chamativo e eu fui assistir de curiosidade. O vídeo é muito informativo e bem interessante sobre a indústria alimentícia, com um assunto que "todo mundo sabe" que faz mal, mas continua comendo.
No vídeo o assunto principal é a alimentação com fast food, mas citam o livro Sugar Blues, escrito em 1996, e como ele fala sobre a indústria e a realidade do quanto o excesso de açúcar pode fazer mal, e que o açúcar vicia mais que qualquer outro tipo de droga. E lá fui eu procurar o livro para ler, pois eu já tinha ouvido falar que o açúcar vicia, mas nunca tinha parado para realmente pensar nisso.

Definindo o título do livro:
Sugar: Açúcar. Sacarose refinada, produzida pelo múltiplo processamento químico do suco da cana-de-açúcar ou da beterraba e pela remoção de toda fibra e proteína, que representa 90% da planta.
Blues: Um estado de depressão ou melancolia revestido de medo, ansiedade e desconforto físico.
Sugar Blues: Múltiplas penúrias físicas e mentais causadas pelo consumo da sacarose refinada, comumente chamada de açúcar.


Na verdade, me interessei pelo livro pois o meu vício em açúcar é algo tão grande que passei a me sentir incomodada com a necessidade que eu tenho em comer algo doce. E não estou exagerando, é realmente um vício, na maioria dos dias eu me sinto inquieta enquanto não saio e compro um chocolate, um pedaço de bolo ou qualquer outro doce na padaria. E normalmente, essa vontade acontece logo após o almoço.
Acho que foi por isso que me identifiquei tanto com o autor do livro, pois ele relata que nada gerava mais prazer que comer um doce. 

Durante a minha adolescência, tive a minha pele sempre ruim, com muita acne e enxaquecas constantes. A indisposição sempre foi algo presente. E sempre após as refeições, não importando o quão satisfeita eu estava, sempre tinha espaço para um doce.

E o autor relata algo que me fez perceber que todos esses "problemas" que eu tinha na adolescência poderia ser resultado do excesso de açúcar. Porque ele teve pele ruim, hemorroida e pneumonia, que remédio nenhum conseguia curar. E quando ele passou um tempo no exército, sem consumir açúcar, não esteve doente. Mas quando voltou aos Estados Unidos, surgiram doenças ainda piores, incluindo enxaquecas, mas nenhuma com causas comprovadas.
Foi quando o autor leu um livrinho em que falava sobre a possibilidade do açúcar causar algumas doenças e ele decidiu jogar fora os alimentos que continham açúcar e não sobrou quase nada na dispensa. 
Depois de 48 horas, ocorreu a abstinência. Nos dias seguintes, as hemorroidas não estavam mais presentes, a pele estava mais saudável e tinha mais disposição.
Em cinco meses sem açúcar, o autor passa de 102kg para 67kg.

Em seguida, fala sobre a origem e relata um breve histórico sobre a indústria do açúcar.

Depois, fala sobre como o nosso corpo reage ao açúcar ingerido. Resumindo:
  1. Ingestão do açúcar refinado (sacarose).
  2. Sacarose vai para o intestino e vira glicose.
  3. Glicose é absorvida pelo sangue.
  4. O corpo produz insulina para diminuir a glicose.
  5. As glândulas supra-renais possuem um papel importante nesses processos, para que o equilíbrio de glicose no corpo seja mantido.
  6. Enquanto a glicose está sendo absorvida pelo sangue, nos sentimos eufóricos.
  7. No entanto, essa onda de energia hipotecada é sucedida por períodos de depressão, quando o nível de glicose no sangue cai, ficamos apáticos, cansados.
E então ele fala sobre algumas substituições graduais do açúcar, dando opções de alimentos para mudar esse vício.
Foi aí que eu pensei que a minha indisposição constante não estava tão relacionada a pressão baixa como eu pensava, mas poderia estar relacionada ao excesso de açúcar que eu estava acostumada a consumir. 
O livro é muito bom, mesmo a leitura sendo um pouco cansativa as vezes. Ajuda bastante a pensar que o açúcar pode ser o vilão de muitas doenças, não somente diabetes.

Depois de tanto aprendizado, estou determinada a diminuir a quantidade de açúcar que eu consumo, não apenas por causa desse livro, mas para conseguir não ser tão dependente desses desejos incontroláveis.